MUSEU

Achados arqueológicos

Na noite de 5 de  maio de 1668 naufragou na costa baiana, na altura do Rio Vermelho,  a embarcação portuguesa Galeão Santíssimo Sacramento. Mais de 400 pessoas morreram afogadas e uma carga valiosa foi para o fundo do mar numa embarcação de aproximadamente 500 toneladas. Durante mais de três séculos esse tesouro ficou submerso. Em 1976, a Marinha do Brasil, em parceria com o Ministério da Educação e a PETROBRAS, reconhecendo a importância desse sítio histórico, empreendeu a primeira pesquisa de arqueologia submarina do país e trouxe à tona os salvados da expedição científica do Galeão Sacramento. Entre as preciosas peças encontram-se balas de canhões, mosquetes e arcabuzes; fragmentos de carrinhos de canhão, breu, cavilha e prego em metal; alianças, dedais, botões, faianças, pratos, moringas e imagens sacras. Parte importante desses achados encontra-se no Museu Náutico da Bahia e muito contribui para ampliar o conhecimento da nossa história colonial. Devidamente classificados e protegidos, os salvados do sítio arqueológico do Galeão Sacramento constituem valioso acervo da formação do Brasil.

Instrumentos náuticos e réplicas de embarcações

A história das navegações é o resultado de gigantesco empenho de matemáticos, astrônomos, nautas e construtores navais que contribuíram para solucionar problemas relacionados a rumo, distância, latitude e longitude, assegurando, ao longo do tempo, mais segurança ao percurso marítimo.
Modernamente, a eletrônica, pela sua facilidade e viabilidade, impôs-se  a quase nos fazer esquecer o difícil percurso da descoberta e aperfeiçoamento dos instrumentos usados pelos pioneiros da arte de navegar, dos quais os portugueses se podem orgulhar de também terem contribuído. Os problemas que se puseram sobre a latitude e longitude deu grande impulso ao aperfeiçoamento e descoberta de novos instrumentos.
Visitando o acervo de instrumentos náuticos e de réplicas de embarcações do Museu Náutico da Bahia é possível conhecer os tipos e características dos instrumentos empregados na arte de navegar, e sua evolução até os dias atuais, assim como os detalhes das principais embarcações com as quais os navegantes desbravaram, a partir do Século XV, os oceanos e mares na busca de novas terras, novos povos, riquezas e sonhos.

Endereço – Largo do Farol da Barra, s/n – Forte de Santo Antônio da Barra – Barra – Salvador – Bahia 40140-650 Telefones – (071)3264 3296 / 3331 8039